1.3.07

Inimigo Comum
























quando você for
ao encontro do inimigo
venha conversar comigo

eu já lutei em todas as guerras
escapei de insanos malefícios
corri em todas as maratonas
cheguei na beira dos precipícios

já criei filhos
fundei cidades
- todos os tipos de dificuldades

fui muito amada
muitas vezes disse 'não'
(saltos e saltos mortais por cima da ilusão)

então humildemente
muito humildemente eu digo:
quando você for
ao encontro do inimigo
venha conversar comigo

porque eu venci todas as guerras
eu conquistei aquelas terras
e talvez eu possa te ensinar a manha
pra dissipar a ignorância tacanha
dessas pessoas que estão por aí.



8 comentários:

Eurico disse...

Marcinha,
minha querida e para sempre amiga
me lembro com um sorriso espremido no peito,
como aqueles que sentimos quando aperta a saudade.
me elmbro dos roles de bike
me lembro dos varios por de sol que compartilhamos
e sempre das palavras que trocamos.
mas ainda do seu sorriso de menina e da sua ginga feminina.
Quantas saudades dos encontros e desencontros que essa cidade linda nos propiciou.
Agora eu aqui do outro lado do mundo sinto saudades,
mas mais importante e que atravesda nossa amizade, sinto vc dentro de mim.
Ao ler os seus poemas, eu os li com os ouvidos meus que escutavam a sua voz ao recita-los, a cada intonacao e acao pude sentir vc dentro de mim ecoando...a saudade agora ja nao e tanta embora grande, pois sei que o espaco e o tempo estao fora e nao dentro. E quando quiser dar saltos mortais por cima da ilusao e so fechar os meus olhos.
Esse e um poemail...nao tem a certeza e nem audacia de ser um poema apenas o desejo de comunicar com simples palavras o sentimento de um simples ser humano, com muita sorte alias de poder um dia ter te conhecido e hoje te ler.
De quem se lembra, mas a lembranca so nao basta
e sente a ausencia.
beijo grande Eu.

Francisca Libertad disse...

Mãe, sempre e tão mãe em todos os bons sentidos. Mãe que afaga, que protege, que ensina, que guia sem soberania burra.
Marcinha, essa poesia é linda, e me fez pensar na minha querida Ananda.

Muitos beijos

leo albergaria disse...

definitivamente sem palavras! o melhor d todos! continue assim q voltarei sempre! ahahaha...bjaum!

Débora Brenga disse...

Márcia o seu blog é tudo de bom!
Toca a gente, faz a gente se sentir melhor, é um puro ato de generosidade com o outro.
Suas poesias são belíssimas e revelam o seu olhar com a vida, o outro e si mesma...
É um presente do céu tê-la como uma nova amiga.
Obrigada

maria alice mansur disse...

que coisa mais linda, querida. Poema lindo. Seu blog é muito atraente e sua foto parece pintura de um mestre renascetista. Vamos nos lendo.
beijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Marcinha,foi assim que a conheci e agora encontro esse blog lindo,esses poemas sentidos e me encho de orgulho por tê-la conhecido em seus primeiro anos e agora descobrir a poetisa que já estava ali e eu nem sabia.Só precisa atualizar nossos sentimentos com postagens mais frequentes,um beijo carinhoso de sua prima Sonia regina Lomardo.

gabriela Tarot disse...

que lindoooooooooooooo!

Mabel Knust Pedra disse...

Marcia, o seu blog é bonito, é inspirado, é delicado.
Quero voltar sempre.
E as cigarras também cantam a minha infância, que nostalgia!